18 junho, 2006

Brasil x Austrália - haja coração!


Em Itaúna-MG, 100km a oeste de BH, acontecem os Jogos Jurídicos neste fim-de-semana. Desde sexta-feira, o filhote Leo está por lá, disputando não-sei-o-quê, mas, com certeza, se divertindo como nunca.

Imagino a farra que os universitários(as) aprontam nesses eventos: "Tudo pelo esporte!", deve ser o lema deles: ficam em alojamentos coletivos, alugam vans ou ônibus, aprontam as mochilas e pé-na- estrada.

A gente que é pai fica um pouco aflito. Mas só um pouquinho, porque sabemos bem o filho que temos e a turma que ele frequenta. Já nos falamos duas vezes por telefone, a última foi agorinha mesmo.

A Ana vai passar o domingo num sítio com amigos, onde assistirá Brasil x Austrália. Ela e as outras três MineirasUai! têm feito uns posts interessantíssimos no seu blog. Nada como a visão feminina para nos imunizar contra as baboseiras dos comentaristas profissionais tipo Galvão Bueno, Casagrande et caterva. Aliás, outros 'blogs da Copa' que vale a pena visitar são estes daqui (links copiados do Marmota - peço licença aqui, tá Marmota?:


Outro filho que passa o fim-de-semana fora é o Ângelo. Este foi a Paracatu, uns quatrocentos quilômetros em direção a Brasília, longe pra burro. Frequentemente viaja com um grande amigo, cujos pais têm uma fazenda por aquelas bandas. Como estudante de Veterinária, o rapaz adora. Chegou de volta ontem à meia-noite e hoje, pela manhã, também foi pros Jogos Jurídicos de Itaúna.

- Mas o que um 'veterinário' foi fazer no meio dos 'advogados'?

- Pois conto agora: Ângelo e Leo vão tocar com o Chapéu Panamá na festa de encerramento, dar um show pro pessoal sambar, logo após o jogo do Brasil contra a Austrália. Seja lá qual for o resultado (falta menos de uma hora para começar a 'guerra'), tem "a nova guarda do samba de raiz" pra balançar o coreto.

Desta vez, Amélia e eu ficaremos aqui, torcendo por eles: pelo Brasil e pelos filhotes.

A casa vazia, sem aquela animação dos 'meninos', não terá a presença física deles, mas coração de pai-e-mãe bate no ritmo dos corações dos filhos: Ana, Ângelo e Leo estarão conosco: cada lance bonito, cada gol do Brasil (espero que sejam muitos), cada susto em nossa defesa, tudo nos lembrará os olhos brilhantes dos 'meninos', os comentários da Ana, os gritos do Ângelo, as comemorações do Leo.

Enquanto aguardo o início da partida, leio uma entrevista do jogador Kaká ao Estado de Minas. Gostei da resposta:

Jornalista: Há uma grande esperança em Ronaldinho Gaúcho e havia também em cima de Ronaldo. Parece que, depois da estréia, a cotação deles caiu…

Kaká: É uma coisa que não entendo no Brasil. As pessoas têm a mania de depreciar o que é nosso, procuram desvalorizar. A culpa, em parte, é da imprensa, formadora de opinião. Não podemos generalizar, é claro. Ronaldo não precisa provar mais nada. Ganhou duas Copas, a de 2002 como artilheiro, conquistou títulos por onde passou e é idolatrado pelos torcedores da Inter, de onde saiu há quatro anos. Na Europa, todos querem uma estátua para ele nas praças. Só no Brasil não o valorizam, chamam ele de gordo e tudo mais. Um absurdo. Ele é intocável, especial, um jogador fabuloso. Precisa ser respeitado. Ronaldinho Gaúcho acabou de ser campeão da Liga dos Campeões da Europa, eleito o melhor do mundo pela segunda vez e vai brilhar. Foi apenas o primeiro jogo e estréia é sempre difícil. O time vai engrenar. Aqueles que criticam hoje estarão elogiando amanhã.



Dá licença que o jogo vai começar.
__________

Update:
Ufa! que sufoco! Mas ganhamos: Brasil 2x0 Austrália. Ronaldo melhorou, mas nem tanto. Muito susto nos deu a defesa brasileira. Aí entraram Robinho e, no final, Fred. Este aí liquidou a fatura. Vêm aí as mais duras batalhas. Haja coração!

Nenhum comentário: