21 julho, 2006

Dois links: um sério, outro só de bobagens

1. É sério:

Sobre as vítimas libanesas – em todas partes, mas muito especialmente em São Paulo – haverá o que dizer, oxalá: são 6 milhões de descendentes no Brasil. Quantos deles estarão em pânico de que um ser amado seja o próximo Basel Irmad Termos? Lembro-me vividamente de muitos deles, quando visitei São Paulo durante a última hecatombe promovida por Israel no Líbano, no começo dos anos 1980. Lembro-me do horror e do medo. (O texto completo você lê no Biscoito, do Idelber. Dá o que pensar.)

2. Agora é piada:
A barriga do padre crescia cada vez mais.
Descartada a hipótese de cirrose, os médicos concluíram por uma exploratória, já que não havia razão para aquilo. A cirurgia mostrou que era mero acúmulo de líquidos e o problema foi sanado.
Estudantes resolveram aprontar e quando o padre estava acordando da recuperação pós-cirúrgica eles colocaram um bebê em seus braços. O padre, espantado, perguntou o que era aquilo e os rapazes disseram que era o que ele tinha na barriga.
Passado o espanto e tomado de ternura, o padre abraçou a criança e não quis mais se separar.
Como se tratava de um filho de mãe solteira que morrera durante o parto, os rapazes envidaram todos os esforços para que o padre ficasse com a criança.
Os anos passaram e a criança, apresentada à comunidade como filho adotivo do padre, se transformou num homem que se formou em medicina.
Um dia. o padre, já velhinho e sentindo que estava chegando sua hora de partir, chamou o rapaz e disse:
- Meu filho! Tenho o maior segredo do mundo pra te contar, mas tenho medo que fiques chocado.
O rapaz, que já havia intuído de que se tratava, disse compreensivo:
- Já sei. Adivinhei há muito tempo. O senhor vai me dizer que é meu pai biológico.
- Não... - disse o padre, emocionado. E emendou:
- Sou sua mãe! Seu pai é o bispo!

[Para comprovar a origem dessa bobagem e ver muitas outras, o link é esse]

Nenhum comentário: