17 março, 2007

Sociologia de estrada

- São 20,12h e acabamos de chegar a Nova Era.
Foram 4h de estrada, apenas 138km, pela BR 262, sentido leste.
A rodovia está sendo recuperada, já com o piso pronto, quase toda sinalizada, algumas pontes a serem alargadas, trevos precários.
- Então, por que demorar 4h para percorrer distância tão curta?
- Por burrice do DNIT e seu programa de 'recuperação' das estradas: as curvas (infinitas e acentuadas) não foram corrigidas, mas os motoristas, principalmente os de caminhão, carretas e ônibus aceleram pra valer.
Resultado: acidentes constantes.
- Como?
- Após o recapeamento, o número de mortes aumentou e o tempo de viagem, anteriormente de 1,50h, passou para o dobro, pois as retenções são diárias. Hoje, por exemplo, foram três acidentes graves envolvendo caminhões. Um deles foi até pitoresco: tratava-se de um transporte de biscoitos e vimos mais de 100 carros estacionados no acostamento. Os passageiros saíam correndo e saquevam a carga. Um opala (?) azul tinha o banco traseiro abarrotado de pacotinhos, até o teto. Uma farra!

Foto by Ana Letícia

- Será que alguém se interessou em saber como estava o motorista?
- Viajar por essas bandas é uma aula de sociologia, antropologia e política: pobreza, descaso, falta de civilidade e corrupção: obras inacabadas e mal feitas.
- Quem aprova e quem fiscaliza isso? Para onde vai o dinheiro - 38% do nosso rendimento - dos impostos?
- Quem souber responder que me diga.

Nenhum comentário: