26 abril, 2007

Televisionismo paroxístico agudo

Não tenho muito tempo pra ver TV.
Confesso que meu esporte é zapear, pois "O controle remoto é o maior amigo do homem".
Se alguém ainda não disse isso, acabo de criar um aforisma [s.m. máxima ou sentença que, em poucas palavras, explicita regra ou princípio de alcance moral; apotegma, ditado] pelo qual devo cobrar royaties ou, pelo menos, reconhecimento público. Digo e repito:
"O controle remoto é o maior amigo do homem".

Mas voltemos ao zapear e algumas constatações:

1. a dita "tv aberta" é uma merda: desconsidera a inteligência do espectador ou se nivela por baixo, oferecendo muita baixaria. Vez por outra escapa um bom programa.
Podem dizer:
- O que é bom para você pode não ser bom para o outro, e vice-versa, e tal-e-coisa.
- Tá bom, de gustibus non disputantur.

2. as propagandas estão ruins demais!
  • De maneira geral, tem-se que diminuir o volume nos intervalos, pois o pessoal da criação (criação?) acha que todo televidente é surdo.
  • As lojas populares GRITAM as ofertas, tudo a qualquer valor que termine em 0,99: Máquina de lavar: 799,99! Sapato: 49,99! Carne: 11,99! Computador: 24 x 109,99!
  • Os automóveis são máquinas maravilhosas, fazem 300km/h nas moderníssimas highways tupiniquins! Outro dia vi o anúncio da VW de seu carro popular, o Gol: o danado do carrinho é bombardeado, enfrenta terremotos e maremotos, desmoronamentos e o escambau [o Houaiss explica: s.m. série de outras coisas não mencionadas] e continua lindo, inamassável, limpinho da silva! [Eu, que não sou nada bobo, corri e comprei um, hehehehe].
  • O Brasil é o país das louras, lindas e maravilhosas, todas muito bem vestidas ou despidas, todo mundo muito feliz. As casas têm mobiliário clean, ultra-contemporâneo com um toque de conforto, iluminação high-tech e todos os apetrechos que a tecnologia pode proporcionar.
  • Dinheiro? Não é problema, afinal, A Caixa é Nossa, O Banco do Brasil é Nosso, Você tem 120 razões para ser cliente do Bradesco e os juros estão deste tamaninho aqui, ó! O que é que um cartão de crédito não pode pagar?
  • Os telefones celulares (que os nossos irmãos portugueses chamam de telemóvel) existem para todos os gostos e têm modelos novos lançados todos os dias, várias vezes ao dia, igual remédio: tome um comprimido pela manhã, à tarde e à noite. Pois as máquinas da Nokia, LG, Samsung e outras (será que alguém aí vai me pagar pelo merchandising?) só faltam falar, mas têm câmeras digitais, computadores, baixam e-mails e enviam torpedos. Já há modelos com salva-vidas, panela de pressão e air-bag, dizem.
  • O que existe de programa esportivo não tá no gibi, mas tá na tv: o brasileiro é o povo mais instruído do mundo, se for avaliado pela quantidade de mesas-redondas nos finais de domingo, de quarta-feira, de quinta-feira... Também na hora do almoço: antes, durante e depois os comentaristas, locutores, jogadores, juízes, torcedores, tá tudo ali, esmiuçando cada jogada!
  • os comentaristas econômicos são os verdadeiros cavaleiros do apocalipse. Adoram dar notícia ruim: "O desemprego subiu 0,001% nas primeiras horas da manhã!" Quando a notícia é boa, advertem que não é para ficarmos eufóricos, pois tudo pode mudar, a inflação voltar, o Banco Central diminuir a queda da taxa básica dos juros e, o mais incompreensível de tudo: "O Brasil teve um crescimento negativo". Como? -Igual buraco, rapaz: Quanto mais cresce, mais vai para o fundo! - Anh...
- Quae cum ita sint, diriam os romanos, quer dizer que você anda vendo tv demais, né?
- Pois sou obrigado a falar a verdade: tudo isso vislumbrei em algumas zapeadas básicas, rapidíssimas, entre uma garfada e outra, entre um cochilo e outro, entre uma e outra, que ninguém é de ferro!

Nenhum comentário: