29 agosto, 2008

Pra não dizer que não falei das flores... para onde foi a política?

Se eu disser que já assisti um pouquinho só a propaganda eleitoral gratuita na tv e que já escutei por uns minutos apenas, talvez muita gente não acredita. Realmente, é dose!
Primeiro, o formato (en)quadrado, determinado pela ditadura militar, que permanece quase inalterado: os candidatos a vereador aparecem por alguns segundos, falam o próprio nome, uma frase de efeito e logo aparece outro, sucessivamente. Os nomes são hilários: Zé Borracha, Tião da Comunidade, Ninico de não sei o quê. Aqui em Belo Horizonte tem até um tal de Maradona!
É ridículo!
Um slogan guardei: Vote em mim: quem chorou vai sorrir! Já estou sorrindo, gargalhando, nunca fui tão feliz (argh!).
Todos prometem fazer o que todos sabem que deveria estar sendo feito desde sempre: melhor qualidade de vida, melhoria no trânsito, melhor educação, melhor distribuição de renda, mais emprego, cidadania (ó palavra enxovalhada!), ambulâncias, pontes, viadutos, escola para todos...
E a política? Onde está a política?
Neca de pitibiribas, não existe política no horário político! Não há nenhum candidato a prefeito que fale de política, ideologia, nada disso. A oposição não se opõe, a situação vê tudo cor-de-rosa. Uma e outra dizem que farão mais e melhor, mas não dizem uma palavra sequer a respeito da filosofia do partido a que pertencem, porque o ideário deles é melhor, a que princípio obedece o governo atual e porque este princípio é nocivo à população. Não, nada disso. Tudo igual: querem o poder, gastam uma dinheirama que não se sabe de onde vem (dizem que tudo tem origem legítima, está registrado no TRE, não existe caixa dois, dinheiro na mala... talvez nem usem cuecas, os mais honestos).
Nas conversas do dia-a-dia o comentário é sempre em tom de deboche, uns apontando a feiura de tal candidato, outros o baixo nível deles. Quando alguém declara o voto, não sabe bem explicar o motivo. Se começa a falar de motivos políticos, ideológicos, então é alvo de chacota e o papo termina assim:
- Qual o quê, político é tudo igual.
-------------------
PS: Outro dia o amigo Idelber Avelar deu uma geral nas eleições. Confira.

Nenhum comentário: