06 julho, 2009

Vigorexia

Hoje, pela manhã, fui entrevistado no Bom Dia Minas, da Globo.
Falei sobre "Vigorexia", um transtorno que se diagnostica em pessoas tomadas pela preocupação excessiva com a sua massa muscular, numa intensidade de obsessão.
Acomete mais homens que mulheres, geralmente jovens, que têm uma percepção alterada da própriz configuração corporal (muscular, em especial). Jamais estão satisfeitos, mesmo contrariando as evidências, juízos médicos e o espelho. Veem-se raquíticos, esqueléticos, franzinos, enquanto exibem musculatura fortalecida pelos constantes exercícios, hipertrofias, etc.
Com o tempo, passam a dedicar tempo extraordinário aos exercícios físicos, chegando a isolar-se socialmente. Alguns prejudicam o próprio trabalho ou estudo. Para ser caracterizado com "distúrbio ou doença", deve ser ego-distônico (causar sofrimento ao portador), ser permanente (obsessividade) e com clara distorção da percepção corporal.
O transtorno se associa, muitas vezes, ao abuso de substâncias chamadas "complementos alimentares" para aumentar a massa muscular, aplicação de hormônios e seletividade exagerada de alimentos. Outros buscam correção cirúrgica, pois chegam a 'delirar', ou seja, apresentam claramente um transtorno sensoperceptivo da própria imagem corporal.
Por isso, a "vigorexia" é também chamada de Transtorno Dismórfico Corporal, que se caracteriza por:
A. Preocupação com um imaginado defeito na aparência. Se uma ligeira anomalia física está presente, a preocupação do indivíduo é acentuadamente excessiva.

B. A preocupação causa sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

C. A preocupação não é mais bem explicada por outro transtorno mental (por ex., insatisfação com a forma e o tamanho do corpo na Anorexia Nervosa).
(
F45.2 (CID.10) ou 300.7 (DSM.IV))

O tratamento inclui alguma forma de psicoterapia e pode ser necessário utilização de psicofármacos, seja para controle da ansiedade subjacente, da depressão associada ou de traços 'psicóticos' dos portadores.
Eis a íntegra da entrevista:


Nenhum comentário: