12 junho, 2006

Muito macho!

Um de minhas diversões favoritas, quando adolescente, era ler as revistas do Fantasma, Zorro, Batman, Mandrake, Capitão Marvel e Super Homem. Gostava, também, dos quadrinhos de Walt Disney (Pato Donald, Mickey, Tio Patinhas), mas os super-heróis eram demaaais!

Marvel era, na verdade, um rapaz (Billy) que ficara órfão. Um mago chamado Shazam lhe dera uma coleção de qualidades: a sabedoria de Salomão, o vigor de Atlas, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a rapidez de Mercúrio. A transformação em Capitão Marvel se dava quando ocorria quando Billy gritava: Shazam! Para mim, a evocação dos deuses da Mitologia Grega era benvinda, poisas minhas leituras "clássicas" já me familializaram com o Olimpo.

O Super Homem (Super Man) era, igualmente, um personagem que habitava minhas fantasias: quantas vezes caminhei por entre os prédios sombrios de Metrópolis, onde morava o tímido repórter Clark Kent, apaixonado por Lois Lane. Outro tímido que adquiria superpoderes, esse tal de Kent. Nunca conseguia chegar aos "finalmentes" com a jovem, pois algum criminoso provocaria uma catástrofe e... -
Mais uma tarefa para o Super Homem! Clark Kent saía correndo, escondia-se num vão de porta ou num beco escuro, arrancava o paletó e... tchum! surgia o Super Homem.

Depois vieram os filmes, as séries de TV e aqueles personagens tão poderosos passaram a viver as vicissitudes da modernidade. Crises existenciais, fraquezas, incertezas e outras mazelas acometeram os super-heróis, nem tão super, às vezes anti-heróis.

De repente, começaram a dizer que o Super Homem era gay. Batman era gay. Todo mundo tinha virado gay?

Superman: o retorno

Dirigido por Bryan Singer (X-Men — O Filme, X2: X-Men United, Os Suspeitos), Superman – O Retorno é estrelado pelo novato Brandon Routh, que assumiu a responsabilidade de dar vida ao super-herói imortalizado pelo ator Christopher Reeve, nos quatro filmes da série.

Outra vez, Superman
sofre um bocado, pois depois de passar algum tempo longe da terra, volta e descobre que Lois Lane está casada e tem um filho... De novo, não chegou aos "finalmentes"... Seria uma mensagem subliminar para dizer que o cabra é gay, mesmo?

Metrópolis, entretanto, respira aliviada:
- Não, o Super Man não é gay, afirmam os diretores de
Superman: o Retorno, que vai estrear em breve.

O Super-Homem "é provavelmente o personagem mais heterossexual de todos os filmes que fiz", disse Singer, o diretor.

Acho que paira uma dúvida no ar. Singer usou a palavra "provavelmente"...

Afinal, o cabra é ou não é muito macho?

Nenhum comentário: