15 julho, 2006

São emocões demais

Meu pai,
são emocões demais que sinto ao ler suas histórias no Ontem e Hoje.
A precisão com que conta aquelas histórias, papai, deixam transparecer todo seu carinho pelos filhos, pela mamãe, por tudo que já viveu e ainda vive.
Viver em plenitude, eis a maior lição que você nos dá: cada momento da vida, um acontecimento simples do cotidiano, tudo é matéria que se saboreia com prazer. Taí um segredo que não quero esquecer.
Hoje, mais uns causos.
Surpreendo-me sendo personagem.
Parece, realmente, que foi ontem...

São emoções demais.
Obrigado.

Nenhum comentário: