27 dezembro, 2006

Pourquoi?

Algumas imagens nos ficaram da última Copa do Mundo : Roberto Carlos ajeitando a meia enquanto o Brasil sofria um gol da França; Felipão comandando a Seleção Portuguesa em uma de suas melhores participações; a improvável espontaneidade dos alemães, que explodiram de alegria durante aquele mês de junho; a perplexidade e a indignação da torcida brasileira diante do vexame de nosso (!) dream-team e a cabeçada de Zidane em Materazzi.
Pois foi essa última imagem que inspirou o estilista italiano Alessandro Ferrari para criar a coleção Xqua, cuja logomarca é a famosa cabeçada:

Alessandro explica:
- Il nome del marchio – continua Ferrari – nasce dall’esclamazione reiterata dal telecronista francese.
Xqua si pronuncia come il francese pourquoi.
E “perchè” è l’interrogativo che ci si pone dinanzi a un qualsiasi atto di violenza.

Todos nós nos perguntamos, diante daquela cena inesperada:
- Por que? Por que?
Vários programas de televisão e rádio se dedicaram a 'destrinchar' o caso, analisar quadro-a-quadro os poucos segundos em que Zidane caminhava calmamente à frente do Materazzi até que, de repente, se virou e tascou-lhe a cabeçada mortífera.

O Mercado é assim mesmo: apropria-se dos fatos, das emoções, das coisas boas e ruins, do sublime e da lama para transformar tudo em produto.

Aqui em Minas, o estilista Ronaldo Fraga é um mestre: já criou roupas a partir de poemas de Drummond, inspirou-se em imagens religiosas, em produções dos loucos de hospício (Artur Bispo, por exemplo), no assassinato de Zuzu Angel ("Quem matou Zuzu Angel?"), em Guimarães Rosa ("a cobra ri"), etc.

Moda engajada, dizia-se antigamente. Moda atual, look up-to-date, faschion, "da hora", etc. Reivenções, releituras, movimentos antropofágicos, etc.

Lembro-me de uma antiga propaganda de uma casa de roupas infantis, chamada O Príncipe, que dizia: "Príncipe veste hoje o homem de amanhã". Mas isso é conversa para depois.

Nenhum comentário: