05 janeiro, 2006

Meu pé esquerdo


Alguém se lembra do filme "Meu pé esquerdo", sucesso, há algum tempo?
O diretor Jim Sheridan (O Lutador) leva às telas a história de Christy Brown, que apesar de sofrer de paralisia cerebral desde que nasceu conseguiu mostrar ao mundo sua inteligência e talento através da arte. Com Daniel Day-Lewis. Vencedor de 2 Oscars!
Pois o Caderno de Informática do Estado de Minas de hoje traz a história de Priscila:
Uma usuária especial
(Marcos Vieira)

"Portadora de paralisia cerebral e dependente de cadeira de rodas, apesar de todos os tratamentos submetidos, Priscila de Toledo Fonseca, de 20 anos, não tem movimentos corporais voluntários, mal consegue balbuciar algumas palavras (a maioria das vezes incompreensível para quem não convive com ela diariamente) e tem como parte mais funcional do corpo, o pé esquerdo, com o qual executa suas tarefas. Todas, claro, ligadas ao computador, inclusive a redação de seu primeiro livro de poemas.
Apesar das muitas barreiras, Priscila Fonseca superou todas com dignidade e força de vontade incomuns. O computador, com certeza, foi o principal aliado nessa batalha, principalmente depois que ela descobriu que tudo ficava mais fácil quando utilizava o pé esquerdo. Ela ressalta que o computador entrou em sua vida em 1990, mas de 2000 para cá é que ele fixou-se , além de uma ferramenta imprescindível de comunicação, também como um companheiro inseparável em virtude da internet e de outros recursos oferecidos pela máquina, e que ela utiliza como poucos."

São exemplos assim que nos fazem acreditar no poder do desejo, que alimenta a esperança e nos move em todas as nossas ações.

Parece muito romântico dizer que o desejo é capaz de tudo, assim como a Fé, move montanhas! Na vida cotidiana isso parece não fazer muita diferença, mas é diante de alguma dificuldade, de uma tarefa mais árdua, que nos confrontamos com nosso verdadeiro desejo. Do contrário, cairemos no pior dos vícios: a tibieza.

Ser tíbio é triste!

Nenhum comentário: