14 janeiro, 2006

Mineirinho Valente

Mineirinho Valente




Ingredientes:
600 gramas de canjiquinha (deixar de molho na água por 1 hora aproximadamente)
2 cebolas picadas
1 pimentão vermelho picado
2 talos de aipo picado em cubos
Tempero alho e sal
2 litros caldo de costela
4 dentes de alho picado
3 colheres de sobremesa de manteiga
4 colheres de azeite
Uma pitada de curry
Pimenta Biquinho
Espinafre picado
Cheiro verde
300 grs de queijo minas meia cura ralado grosso
pimenta do reino a gosto
500 grs de lombo defumado picado em cubos
400 grs lingüiça caseira
500 grs Costelinha de porco desossada picada em cubos e temperada com vinho branco

Preparo:
Fritar o alho no azeite, em seguida colocar a cebola, pimentão, aipo e curry, deixe fritar por alguns minutos. Escorrer a água da canjiquinha e colocar na panela. Adicionar o caldo de costela, pimenta do reino e temperar a gosto. Deixe cozinhar aproximadamente por 15 minutos mexendo de vez em quando para não agarrar, vai colocando caldo de carne a medida que for secando, misturar 2 colheres de manteiga e reservar. Fritar levemente a lingüiça com um pouco de manteiga e reservar. Fritar a costelinha desossada e reservar. Misturar o lombo defumado, lingüiça e a costela na panela da canjiquinha por 10 minutos em fogo baixo, em seguida colocar as folhas de espinafre e fazer a montagem com queijo.

Levar o caldeirãozinho ao fogo, forrando-o até ao meio com a canjiquinha preparada, Colocar o queijo ralado, formando uma camada. Completar com a canjiquinha, mais uma camada de queijo, cheiro verde e pimenta Biquinho. E..., bom apetite!

Autor: Ilmar
Esta foi a melhor "comida di buteco' de 2005, em Belo Horizonte! O festival popular de gastronomia, que agita os bares e botequins de BH e, desde ano passado, de outras cidades de Minas, já esquenta os tamborins para 2006.

Uma notícia de hoje, no EM, encheu de orgulho os belorizontinos, já bairristas por natureza:

Um dos bares mais tradicionais de Belo Horizonte vai receber um prêmio no 31º Festival Internacional de Hotelaria, Gastronomia e Turismo de Madri, na Espanha. O Casa Cheia, que fica no Mercado Central, na região Centro-Sul da capital, foi reconhecido como um dos mais importantes estabelecimentos do setor e será condecorado com a insígnia de ouro “Global Quality Management”.

O prêmio será entregue dia 25, na abertura do festival, que se prolonga até o dia 29, na capital espanhola. O dono do Casa Cheia, Ilmar Antônio de Jesus, viaja com a família segunda-feira para receber a condecoração. O bar é o primeiro de Minas Gerais a receber o prêmio.

De acordo com Ilmar, a indicação ocorreu depois do término do último Festival Comida di Buteco, em junho, quando o Casa Cheia foi escolhido como o bar com o melhor tira-gosto de Belo Horizonte. O prato escolhido foi o “mineirinho valente”, que combina canjiquinha, lombo e lingüiça defumados, costelinha temperada ao vinho, creme de espinafre, queijo e pimenta-biquinho,

TURISTAS Ilmar conta que logo depois do festival, recebeu a visita de um grupo de turistas espanhóis e serviu a eles, durante uma semana, diferentes pratos da casa, como o “porconóbis e sabugosa”, o “costela de Adão” e o “feijão mexicano”, já premiados em edições anteriores do Comida di Buteco. Depois de trocar receitas com o grupo, Ilmar ficou surpreso ao descobrir que entre eles estavam integrantes do comitê de seleção do prêmio internacional.

“Estou muito feliz com o reconhecimento e o prêmio vai servir para divulgar o turismo de BH”, comemora Ilmar, que foi informado sobre a premiação em novembro. O Casa Cheia é um dos mais antigos bares do Mercado Central e, a exemplo do complexo comercial, atende um público bastante diversificado. O sucesso do bar é tanto que, nos fins de semana, os clientes fazem fila para conseguir uma mesa.

"Estou muito feliz com o reconhecimento e o prêmio vai servir para divulgar o turismo de BH" - Ilmar Antônio de Jesus, dono do Casa Cheia.

___________
Outro que deveria ser condecorado é o Soié.
Veja aqui, por quê.

Nenhum comentário: