25 maio, 2006

"Caracu com ovo" é delicioso???

O primeiro aparelho de televisão que meu pai comprou foi em 1963!


Lá na pequena Nova Era - banhada pelo Rio Piracicaba, no Vale do Aço - a "modernidade chegou um pouco antes. Pouquíssimas famílias tinham TV e nós, crianças, ficávamos doidos para assistir algum programa e, na maior cara-de-pau, pedíamos aos vizinhos que nos deixassem vem desenhos e até filmes. Hoje, imagino o quanto éramos inoportunos em nossa curiosidade infantil. Tanto assim que os pais nos repreendiam e tentavam controlar nossa falta de senso crítico.

Os próprios adultos, porém, não resistiam e, quando iam buscar os filhos nas casas dos vizinhos, ficavam para assistir ao Repórter Esso, o telejornal emitido pela TV Tupi e retransmitido, em Minas, pela TV Itacolomi.
O Repórter Esso tinha credibilidade total. Seu locutor era o Gontijo Teodoro, que dava "Boa Noite" ao Brasil pontualmente às 20h. Nunca me esqueci do jingle que marcou a propapaganda brasileira:
"Só Esso dá a seu carro o máximo
Só Esso dá a seu carro o máximo
Só Esso dá a seu carro o máximo
Veja o que Esso faz!"
Letra simples, direta, eficaz e uma musiquinha que agarrava nos ouvidos. Como esquecer? Eu até sonhava em ter um carro só para colocar gasolina Esso nele...

Mas foi uma propaganda que eu adorava que me levou a desacreditar das "verdades" do marketing. Era o jingle da Caracu, repetido em todos os intervalos, que eu decorei:
"Vou te ensinar
Um receita
Muito gostosa
E fácil de fazer:
Arranje um ovo
E uma Caracu
E bata no liquidificador
Chá-chá-chá
Caracu com ovo
é delicioso
Caracu com ovo
É delicioso..."

Menino, eu nem tomava cerveja. Mas o desenho animado da propaganda e aquela musiquinha me convenceram. Um dia, insisti com meu pai para fazer a tal receita. Ele argumentou que deveria ser muito ruim, não era coisa para criança, amargava, etc. Mas tanto insisti, ajudado por meus irmãos, que Soié finalmente cedeu. Corri ao bar da esquina, comprei a garrafinha daquela cerveja preta e cheguei ofegante em casa. Meu pai, minha mãe e meus irmãos em torno da mesa, o ovo já esperando! "Ovo cru", eu lembrei. O líquido foi derramado dentro do copo do liquidificador, ajuntamos o ovo e... chá-chá-chá! Cada um com seu canequinho, loucos para provar daquilo que a tv nos convencera de que seria de-li-ci-o-so!
Ninguém conseguiu engolir aquele troço espumante amargo, ruim, gosmento.

Meu pai caiu na gargalhada:
- Não falei? Eu bem disse que não era bom.
Ainda tentei argumentar:
- Mas na televisão fala que é delicioso!
E ele:
- E vocês acreditam em tudo que passa na tv?

Aprendi. E isso me serve de lição até hoje...